top of page

Sanção jurídica: o que é, exemplos e aplicação

Vamos afiar o juridiquês e falar de Direito na prática? O papo hoje é sobre sanções jurídicas, e se você tem dúvidas sobre esse assunto, fica aqui com a gente para aprender tudo sobre ele:




Mão escrevendo multa de trânsito em papel




ÍNDICE







Afinal, o que é a sanção jurídica?


A sanção jurídica é uma consequência prevista na lei para a prática de determinado ato ou conduta. Em outras palavras, é a punição ou o mecanismo de coerção aplicado pelo Estado quando uma norma jurídica é violada.


Algumas características principais da sanção jurídica são:


  • Imposição pelo Estado: A sanção jurídica é aplicada pelo poder público, geralmente pelos órgãos do sistema de justiça, como tribunais e autoridades administrativas.


  • Caráter obrigatório: A sanção é um elemento obrigatório da norma jurídica, ou seja, sua aplicação é compulsória caso a norma seja descumprida.


  • Finalidade: A sanção tem como finalidade principal coibir a prática de atos ilícitos, seja por meio da punição do infrator ou da reparação do dano causado.


  • Tipos: As sanções jurídicas podem assumir diversas formas, como penas, multas, indenizações, suspensão de direitos, entre outras, dependendo da natureza da infração e da área do Direito.






Tipos de sanção jurídica


Existem muitos tipos de sanção jurídica previstos no Brasil, em diversas áreas diferentes do Direito. Vamos conferir os principais tipos utilizados hoje em dia?



Sanções penais:


  • Penas privativas de liberdade (prisão)

  • Penas restritivas de direitos (como prestação de serviços à comunidade)

  • Multa penal

  • Perda de bens e valores



Sanções civis:


  • Obrigação de indenizar (reparação de danos)

  • Anulação de atos jurídicos

  • Resolução de contratos

  • Multa civil



Sanções administrativas:


  • Multa administrativa

  • Suspensão ou cassação de licenças e autorizações

  • Interdição de atividades

  • Advertência

  • Apreensão de bens



Sanções tributárias:


  • Multa tributária

  • Juros de mora

  • Proibição de contratar com o poder público



Sanções ambientais:


  • Multa ambiental

  • Embargo de obra ou atividade

  • Suspensão de atividades

  • Reparação do dano ambiental



Sanções processuais:


  • Multa por litigância de má-fé

  • Condenação em custas processuais

  • Prisão por desobediência a ordem judicial






Aplicação de sanções jurídicas


Antes de tudo, é importante salientar que a aplicação de cada tipo de sanção dependerá da natureza da infração e da área do Direito envolvida, de acordo com as previsões legais específicas.


Dito isso, as aplicações de sanções jurídicas seguem um processo que envolve as seguintes etapas principais:



1.   Previsão legal


A sanção deve estar prevista em lei, ou seja, a norma jurídica deve estabelecer quais são as condutas proibidas e quais as respectivas sanções aplicáveis.




2. Apuração da infração


Deve haver a constatação e comprovação de que uma determinada norma jurídica foi efetivamente violada. 


Esta etapa geralmente envolve a instauração de um procedimento administrativo ou judicial para investigar e apurar os fatos.




3.   Garantia do contraditório e ampla defesa


Antes da aplicação da sanção, deve ser assegurado ao infrator o direito de apresentar sua defesa e contraditar as acusações. Essa é uma garantia constitucional prevista no devido processo legal.




4.   Análise da gravidade e circunstâncias


Ao aplicar a sanção, o órgão competente deve considerar a gravidade da infração, as circunstâncias envolvidas, a culpabilidade do agente, entre outros fatores.


Esses elementos são fundamentais para definir a espécie e a dosimetria (quantum) da sanção a ser aplicada.




5.   Fundamentação da decisão


A aplicação da sanção deve ser devidamente fundamentada, com base na legislação aplicável e nas provas produzidas.


Essa fundamentação é essencial para conferir legitimidade e permitir o controle da decisão.




6.   Execução da sanção


Após a decisão que impôs a sanção, esta deve ser efetivamente cumprida pelo infrator. Dependendo do tipo de sanção, essa etapa pode envolver a atuação de autoridades públicas, como policiais, agentes fiscais, entre outros.


Esse processo visa garantir a legalidade, a proporcionalidade e o respeito às garantias do devido processo legal na aplicação das sanções jurídicas.






Exemplo prático


Um exemplo prático – muito conhecido – de sanção jurídica aplicada no Brasil é a multa administrativa por infração de trânsito.


No Brasil, o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece diversas infrações de trânsito e prevê as respectivas sanções a serem aplicadas.


Por exemplo, o artigo 165 do CTB dispõe que "Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência" é uma infração gravíssima, com penalidade de multa e suspensão do direito de dirigir.


Quando um motorista é flagrado cometendo essa infração, o agente de trânsito (geralmente um policial rodoviário) irá lavrar um auto de infração, que é o documento que inicia o processo administrativo de aplicação da sanção.


Nesse processo, são garantidos ao motorista o direito ao contraditório e à ampla defesa. Ele pode apresentar sua defesa administrativa perante o órgão de trânsito competente.


Caso a infração seja confirmada, a autoridade de trânsito irá impor a sanção prevista no CTB, que nesse caso é:


  • Multa de valor determinado em lei (aproximadamente R$ 2.934,70 em 2023)

  • Suspensão do direito de dirigir por um período de 12 meses


Essa multa administrativa possui caráter punitivo e tem por objetivo coibir a prática da infração de trânsito, visando à segurança viária.






Sanção jurídica x multa: qual é a diferença?


A principal diferença entre sanção jurídica e multa é que a multa é apenas um dos tipos de sanção jurídica existentes. A sanção jurídica é um conceito mais amplo, que abrange diversas consequências previstas em lei para o descumprimento de uma norma.


Já a multa é um tipo específico de sanção jurídica, que consiste em uma penalidade pecuniária imposta pelo Estado.


Portanto, todo ato de imposição de multa é uma sanção jurídica, mas nem toda sanção jurídica se caracteriza como uma multa.






Banner institucional da Septem Capulus



Aprofunde seus conhecimentos


Como você pôde perceber nesse post, as sanções jurídicas abrangem várias áreas diferentes do Direito. Por isso, para lidar com elas, é fundamental estar preparado e atualizado em todas as áreas possíveis!


Aqui na Septem, você acessa +200 conteúdos atualizados disponíveis na nossa plataforma online, para assistir quando e onde quiser.


E toda semana tem conteúdo novo saindo do forno com profissionais especialistas e que vivem do que ensinam. Se capacitar e se manter relevante no mercado não é tão difícil com essa ferramenta em mãos, né?







Te esperamos daqui 🚀



Comentarios


bottom of page