top of page

Trailer de Barbie vetado nos cinemas: casos jurídicos envolvendo a boneca mais famosa do mundo!

O novo filme da Barbie está chegando nos cinemas em breve com muitas polêmicas. Vem entender o porquê da proibição de um dos trailers e conhecer outros casos judiciais envolvendo a marca:


Atriz Margot Robbie caracterizada como Barbie em divulgação do filme.

Barbie: Margot Robbie como Barbie | Divulgação


No dia 21 de julho, o novo filme da Barbie chega aos cinemas. A Barbie foi criada em 1959 pela empresa Mattel nos Estados Unidos e se tornou símbolo conhecido mundialmente por sua identidade visual, seus diversos filmes e produtos envolvendo a marca. Conhecida por ter vários empregos e por sua estética cor de rosa, a boneca possui mais de 40 filmes desde a década de 1980.


Nas redes sociais não faltam expectativas sobre o filme mais recente, estrelado pela atriz Margot Robbie como personagem principal. O ambiente com diversas Barbies de diferentes cores e estilos diferencia o filme das outras obras em um live action cheio de emoção.


Para além de toda a expectativa envolvendo o filme, que promete ser um sucesso de bilheteria, antes mesmo de seu lançamento, o filme já foi alvo de proibição do trailer nas salas de cinema e vem reacendendo discussões antigas.


Para entrar no clima, separamos curiosidades envolvendo o mundo jurídico e a Barbie. Vem conhecer:



Trailer vetado nos cinemas


Recentemente, no dia 7 de julho, o Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar) vetou um dos trailers do filme pouco antes da estreia nas telonas. A medida proíbe a exibição do teaser em sessões com classificação para menores de 12 anos.


A motivação, segundo o órgão, é a presença de violência e ausência de boas maneiras no teaser. Isso porque, no trailer vetado, diversas crianças jogam fora suas outras bonecas depois de verem a Barbie. A Warner, produtora do filme, pode recorrer da decisão, porém até o momento não houve nenhuma ação nesse sentido. Climão, né?



Ela tem o próprio rosa


A Mattel possui a patente do rosa em mais de 100 categorias e não faltam casos de processos por uso sem permissão. Um dos casos foi em 1997 contra a banda Aqua e gravadora MCA pelo famoso single Barbie Girl, (é essa mesma que você está pensando “I'm a Barbie girl, in the Barbie world”)


O rosa pink na escala Pantone 219 C é a cara da Barbie. Você sabia que durante a produção do filme em 2022, a tinta ficou em falta pelo excesso de rosa nas gravações?



Representatividade importa


A Barbie foi associada por muito tempo à pressão estética, o que fez com que a Mattel repensasse a sua representação. Atualmente, a boneca passou a apresentar diversidade de cor, gênero, etnia e profissões.


Inclusive o filme mostra um mundo inteiro com Barbies de diversas formas. Além de apresentar personagens de várias cores e etnias, o filme resgata personagens descontinuados como o Allan (interpretado pelo ator Michael Cera), melhor amigo do Ken, lançado na década de 1960 e que não teve a repercussão desejada. Por isso, no mundo da Barbie só existe um Allan (quem assistiu o trailer, vai entender 🤭)



Direito e Entretenimento


Como é possível perceber, nem mesmo a Barbie fica de fora das discussões atuais e das proteções do "mundo real", especialmente, quando falamos do setor jurídico.


E se você quer conhecer mais sobre as discussões envolvendo o entretenimento e o Direito, confira na plataforma a nossa mentoria com o Direito Jurídico da Cinépolis, o Danilo Takaesu.


E, além da mentoria, o Danilo também vai participar de um evento super bacana por aqui: durante os dias 18, 19 e 20 de julho, faremos um estudo de caso sobre a série "Som na Faixa", da Netflix. A série conta a história da criação do Spotify, e aborda as diversas questões jurídicas envolvendo a empresa.


Não dá pra perder!


Até a próxima 👋


Comments


bottom of page