top of page

Marketing Jurídico: Verdades e mentiras sobre a advocacia nas redes sociais

Nos últimos anos, a presença digital se tornou um dos pilares para a atuação profissional. É só abrir o Instagram que temos uma diversidade enorme de serviços à nossa disposição. Existem restrições na hora de divulgar seu trabalho nas redes, mas o que é verdade ou mentira?



Mulher digitando no computador com referências jurídicas em volta

Alguns acontecimentos polêmicos envolvendo profissionais do Direito e as redes sociais fazem a gente pensar no que é real quando falamos de marketing para advogados. O Provimento 205/21, determinado pela Ordem dos Advogados Brasileiros (OAB) em 2021, trouxe reflexões sobre o que e como deve ser postado nas redes jurídicas.


A determinação da Lei

Primeiro, vamos conhecer o contexto. Todo mundo sabe que o marketing tem lotado nossas telinhas 24 horas por dia, por isso a OAB decidiu abordar o assunto com base no Código de Ética e Disciplina da profissão. Já existia o provimento de 2000 sobre publicidade e informação, mas o contexto era outro, anterior a internet como conhecemos hoje.


Assim, a OAB atualiza, dizendo que:

  • O marketing deve ser informativo e não promocional

  • O conteúdo deve garantir o prestígio da advocacia

  • A atuação deve ser discreta e sóbria


Ou seja, para estar na internet, o advogado deve primeiro seguir as normas de ética da profissão baseado nas determinações da OAB. Sabendo disso, vamos entender o que é permitido na hora de aparecer nas redes!

1. Os advogados não podem divulgar seus trabalhos na internet?


Mentira! Em 2021, a OAB trouxe uma novidade para atualizar a divulgação nas redes sociais: o provimento 205/21 defende o marketing jurídico alinhado à ética profissional. Por isso, pode explorar conteúdos informativos nas redes sociais à vontade, ok?


2. Ostentação nas redes sociais é proibida?


Mais ou menos!


Temos alguns exemplos de advogados acionados pela OAB devido postagens de ostentação, mas há possibilidades de outras interpretações. Não há impedimentos para ostentar uma vida luxuosa em perfis pessoais, porém não se deve, de forma alguma, estar atrelado a profissão.


3. Falar a língua da rede social é importante?


Verdade!


Precisamos nos adaptar à linguagem de cada ambiente, por isso pode economizar no juridiquês. Claro que não podemos esquecer os conceitos e informações técnicas da área, mas na internet o público é diverso. Nossa comunicação deve ser acessível!


E como fazer tudo isso alinhado à ética, conhecimento técnico e marketing? Parece muita informação, e realmente é, mas com estratégia e com o apoio de pessoas que entendem do assunto é possível!

Saiba mais

Se você se interessou sobre esse assunto, recomendamos que você conheça o nosso curso completo sobre Marketing Para Advogados com os advogados com Eduardo Marcomim e Elis Christina disponível em nossa plataforma.


Você vai aprender sobre os conceitos para mergulhar no mundo do marketing sabendo de forma prática como atuar de maneira profissional e atrativa nas redes sociais.



Até mais 👋

コメント


bottom of page