top of page

Inteligência Emocional: 10 passos para lidar com as emoções no ambiente profissional

A inteligência emocional é uma das habilidades profissionais mais fundamentais no ambiente de trabalho. Saber lidar com as próprias emoções – e com as dos outros – é peça chave para se destacar no mercado. Quer saber como fazer isso? A #SeptemExplica:



Mulher sentada em frente ao computador com as mãos na cabeça

O dia a dia no mercado de trabalho não é nada fácil. Todos os dias temos que solucionar problemas, independente do nível de experiência ou campo de atuação.

Nesse contexto, a inteligência emocional é um verdadeiro diferencial na sua carreira: ela te permite olhar para os problemas de forma racional e controlar fatores que prejudicariam o seu desempenho, sua produtividade e os seus resultados.




A Inteligência Emocional e Saúde Mental


A Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou o Brasil como o país mais ansioso do mundo. É claro que no ambiente profissional isso não seria diferente. Não é muito difícil encontrar no trabalho aquele colega ou líder a beira de um burnout.

Recentemente, o burnout foi reconhecido pela OMS como uma doença ocupacional. Assim, o Brasil ocupa o segundo país com mais casos registrados, tendo 30% dos trabalhadores acometidos pelo esgotamento físico e mental.




Uma habilidade valorizada


A inteligência emocional já é apontada como uma das habilidades mais valorizadas no mercado de trabalho – juntamente com a capacidade de trabalhar em equipe e a comunicação assertiva. Mas como desenvolver essa habilidade na prática? Como aplicar isso no seu trabalho? Vamos explorar os 10 passos para desenvolver a inteligência emocional:




1. Autoconhecimento


Se conhecer é o primeiro passo para saber lidar com as emoções de maneira eficaz. Perceba os seus padrões de comportamento e os gatilhos que despertam atitudes impulsivas. Dessa forma, você consegue ter uma reação mais positiva e equilibrada em momentos de adversidade.


2. Autocontrole


Ao conhecer a si mesmo, é possível controlar impulsos emocionais em situações de conflito. Para isso, é preciso aprender a racionalizar os sentimentos e evitar o chamado sequestro emocional – aquele momento de explosão em que deixamos a emoção falar mais alto sem levar em conta as consequências.


3. Empatia


A empatia é a capacidade de se pôr no lugar do outro. Diferente do que se pensa no senso comum, ter empatia não é estar sempre positivo, mas entender a perspectiva de outra pessoa. Desenvolvendo a empatia, você se torna mais tolerante a erros e fortalece suas relações interpessoais.


4. Comunicação assertiva


O controle das emoções na hora de se comunicar é o que garante que as pessoas confiem no seu discurso. Seja numa audiência ou numa reunião com um cliente, é importante adotar técnicas que controlem a ansiedade na sua fala e transmitam autoridade.


5. Resolução de conflitos


Os conflitos vão acontecer e precisamos aprender como resolvê-los da melhor maneira. A inteligência emocional nos permite reagir de maneira mais racional e assertiva diante os conflitos, fazendo com que você enxergue soluções de forma mais clara.


6. Adaptabilidade


A nossa capacidade de adaptação pode ser um grande diferencial. No Direito, temos mudanças constantes na legislação e tecnologia, por isso desenvolver a flexibilidade diante transformações é fundamental.


7. Otimismo


Hoje em dia, muito se fala sobre a positividade tóxica. Mas o otimismo é diferente disso! Ser otimista é olhar para situações adversas ou imprevisíveis e enxergar oportunidades, abraçar novas possibilidades e manter um clima organizacional mais positivo.


8. Automotivação


Não há ninguém melhor para te motivar do que você mesmo. Para desenvolver sua automotivação, conheça a sua dinâmica de desempenho e estabeleça metas realistas.


9. Gestão do tempo


O tempo pode ser nosso inimigo ou aliado. A organização das tarefas diárias faz toda diferença na hora de reduzir o estresse e equilibrar a vida profissional e pessoal.


10. Desenvolvimento contínuo


Um bom profissional está sempre em desenvolvimento. A inteligência emocional, neste sentido, é super importante para continuar a se aprimorar e entender o que estudar. Para isso, busque sempre cursos, especializações e o famoso networking.




Desenvolva a sua Inteligência Emocional


Sabemos que não é nada fácil mudar a nossa forma de pensar. Por isso, preparamos um passo a passo com técnicas e estratégias para te ajudar: o curso de Inteligência Emocional.

Quem vai guiar essa missão é a professora Maria Fernanda Peroni, já conhecida pelo curso Oratória na prática.


Quer conferir o conteúdo completo do curso e aprender o passo a passo para controlar suas emoções no ambiente de trabalho? Clique no botão e faça parte da nossa família:




Até mais 👋



Bình luận


bottom of page